segunda-feira, 31 de março de 2008

UMA DESPEDIDA!

No dia 26.03.2008, ao assinar minha demissão da ULBRA/Canoas, me dei conta que sempre se paga um preço ao se assumir posições. Como Assistente Social, então, mais ainda.
O Projeto Ético-Político da profissão não é qualquer projeto.
Ter como orientação social da profissão a defesa intransigente de direitos e a luta por uma sociedade mais justa e igualitária é estar sempre apontando para este mundo invisível que ninguém quer ver. É mais fácil fazer de conta do que se movimentar nos espaços de resistência.
Esta é uma profissão que nos diz que ficar parado é morrer. Que fazer alianças de manutenção do que está aí, trazendo para o concreto o discurso do compromisso e da ação da manutenção do que está posto, é tudo o que os opressores desejam.
Paga-se um preço caro ao se recusar a ser um hospedeiro da opressão. Mas esse preço faz parte das escolhas que nos vêm acompanhando durante toda a vida.
Hoje, quero me despedir dos meus alunos, colegas de ensino e de profissão que permanecem e com os quais construí compromissos. Compromissos estes que foram forjados na luta, nas escolhas, na trajetória de vida pessoal e profissional. Nossas aulas, muitas vezes, se constituíam em encontros de conhecimento, de vidas, de trocas e de emoções.
Quero dizer a todos que, nesses sete anos como professora da ULBRA/Canoas, vocês foram muito importantes. Todos, sem exceção, fazem parte de minha história. Nesses anos, me fizeram trilhar caminhos de esperança e de lutas. Toda vez que minha voz se levantava para defender a profissão, ela estava sustentada pela esperança de vocês de contribuírem por um mundo melhor.
Estou sendo excluída do espaço acadêmico como professora-trabalhadora, como qualquer outro trabalhador pode ser excluído em uma sociedade capitalista com as características da nossa. No caso, de espaços que hoje vêm se constituindo pela transformação da educação em mercadoria, dos professores em vendedores e dos alunos em clientes.
Demitida porque os serviços até então prestados não interessam mais à instituição” - é o que estava escrito no papel que assinei.
No entanto, saio com a certeza de que o que plantei como professora floresceu e estará junto de cada aluno, de cada ex-aluno, contribuindo na consolidação de um projeto profissional calcado nas diretrizes que tanto discutimos nessa caminhada acadêmica.
A partir de agora, então, continuo na luta em outros espaços, contribuindo com a profissão que tanto amo e compartilhando conhecimentos com profissionais e companheiros de sonhos e de profissão.
Até mais, amigos!

Um comentário:

Giselle disse...

Bom...sem comentários pelo fato da demissão...mas o sentimento de tristeza e indignação ficam, por ser você uma grande profissional, guerreira naquilo que acredita, que não vai atras da "maioria". OBRIGADO SEMPRE por mostrar o que realmente é ser um Assistente Social que nunca desiste de cumprir seu papel no espaço de resistência, pelo carinho, pela dedicação, pela compreensão. Você faz parte da minha história profissional que está recém nascendo...Valeu!!!
Estará sempre no meu coração.
Bjs Gica